segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Resumo da Assembleia Popular de 29 de Outubro de 2011


A Assembleia Popular do Porto realizada a 29 de Outubro de 2011 teve lugar frente à Câmara Municipal do Porto, na praça Almeida Garrett, começou às 15h com uma breve introdução sobre a origem e funcionamento da mesma. A seguir cada grupo de trabalho reuniu-se por separado ate às 17h, momento em que todos os grupos voltaram a juntar-se. A próxima Assembleia Popular decorrerá no sábado dia 5 de Novembro de 2011, mesmo local (caso faça sol), no coreto da Cordoaria caso faça chuva (15h00).


1. Propostas do grupo de trabalho para uma «nova economia»:
1) O grupo debateu si deveriam começar a trabalhar com prioridade num âmbito teórico ou de forma prática (de ação). Optou-se por passar à acção.
2) Peça de Teatro como forma pedagógica de sensibilização e compreensão da atual realidade financeira e económica: O grupo tenciona apresentar na próxima assembleia um guião e começar a trabalhar em conjunto com o Grupo de trabalho de «educação/cultura/património» para a sua concretização. Falou-se também do dia 24 de Novembro como data possível para a sua estreia.


2. Propostas do grupo de «educação/cultura/património»:
1) Tema da Centralização
2) Proposta de criação dum papel informativo sobre a situação atual da educação e possíveis propostas. Além da sua função pedagógica, tenciona ser um meio para:
- Dar a conhecer aos estudantes a existência da Assembleia Popular do Porto.
3) Retomar o contacto com as pessoas que assistiram no dia 15 de Outubro, após à
manifestação, à Assembleia Popular.


3. Propostas apresentadas pelo grupo de trabalho de «métodos/ações/mobilização popular»:
1) Apoio à greve geral do dia 24 de Outubro:
- Apelo à cidadania para colocação de faixas nas janelas de apartamentos e moradias. Propõe-se colocar no blog sugestões de lemas de apoio à greve geral.
2) Fazer uma concentração com uma faixa que nos identifique como Assembleia Popular do Porto no dia 8 de Novembro para apoiar a manifestação dos Trabalhadores do Transporte Público do Porto.
3) Como prolongamento das mobilizações globais iniciadas no 15 de outubro: Concentração no dia 11 de Novembro (11-11-2011) à porta dum Callcenter, um dos muitos contextos precários:
-No dia 2 de Novembro, Terça feira, às 21 horas, haverá uma reunião aberta no Café Ceuta para organizar esta ação.
4) Colocação duma faixa e distribuição de flyers como apoio á concentração dos funcionários públicos e privados no dia 12 de Novembro em Lisboa.



4. Propostas apresentadas pelo grupo de trabalho de «organização das assembleias populares»
1) Será redigido um pequeno texto com informações sobre a origem e funcionamento da Assembleia Popular do Porto para a sua distribuição às pessoas que venham por primeira vez à mesma. Eventualmente, este papel será feito em conjunto com o grupo de “métodos/ações/mobilização popular”
2) Criação de cartões que identifiquem cada grupo de trabalho.
3) Criação duma faixa de identificação da Assembleia Popular do Porto.
4) Rotação mensal das pessoas encarregadas do blog e do email da Assembleia Popular do Porto.
5) Periodicidade fixa das Assembleias: Todos os sábados às 15h
6) Tendo em conta a proximidade do Inverno e das chuvas, discutiu-se sobre possíveis locais
onde poderão ter lugar futuras assembleias. No próximo sábado cada pessoa poderá dar a
sua proposta de local, aberto ou fechado, sempre que não nos obrigue a institucionalizar-nos
como grupo.


5. Propostas do grupo de trabalho para «mais democracia»:
1) Responsabilização judicial dos políticos.
2) Possibilidade de Revogação popular de Mandatos.
3) Elaboração duma petição, instrumento de recolha de assinaturas para serem levadas ao parlamento com proposta de lei anexa que assegure a possibilidade de revogação popular de mandatos da classe política:
- Propõem-se sair á rua com uma câmara de video para sondar a sensibilidade das pessoas para estas questões.
- Houve uma discussão na que algumas pessoas da assembleia questionaram si este método de ação terá alguma efetividade, mas ninguém bloqueou a proposta. Falou-se de que, ainda que a proposta possa não ser aceite no parlamento, este método pode ser positivo em termos de mobilização individual e em termos de credibilidade como movimento.
- Caso consigamos colocar a peça de teatro criada pelos grupos de “Novas economias” e “educação/Cultura/Património” em diferentes locais (juntas de freguesia, associações, etc), ao fim da mesma aproveitaria-se para a recolha de assinaturas.

Ao fim da assembleia, falamos da possibilidade de se realizar no futuro uma discussão de perspetivas ideológicas para conhecermos as diferentes sensibilidades dentro do grupo. Também foi referida a importância de divergir as nossas energias tanto para as questões nas que estamos “em contra” como também para construirmos novas alternativas nas que possamos chegar a tomar como caminhos resolutivos da situação que nos levou a formar este grupo.


Sem comentários:

Publicar um comentário